Segunda-feira, 16 de Agosto de 2004

Elisabeth, rainha da Inglaterra

elizabeth.JPG
    Nascida em 1533, a filha de Henrique
VIII e sua segunda esposa, Anne Bolena, Elizabeth teve uma juventude de tragédias.
Sua mãe foi decapitada quando tinha três anos. Elizabeth, uma
protestante assumida, foi considerada uma ameaça constante a sua irmã
Mary, que reinou de 1553 a 1558. Durante este reinado, Elizabeth foi presa
na Torre de Londres por um período, acusada de traição.


    Elizabeth recebeu excelente educação escolar,
aprendendo seis línguas ainda adolescente. Subiu ao poder em 1558,
aos 25 anos, quando sua irmã Mary morreu. A maior ameaça ao
seu trono foi de sua prima, Mary Stuart, rainha dos Escoceses. Elizabeth
mandou decapitá-la quando consegiui provar seu envolvimento num assassinato.


    Durante seu reinado, a frota inglesa defendeu-se da
temida Armada Espanhola, derrotando-a no Mar do Norte. Ao final de seu reinado,
a Inglaterra era considera a maior e mais poderosa nação do
mundo. Em seu leito de morte, em 1603, ela nomeia seu sucessor, James I,
primeiro da linha dos Escoceses.



 
publicado por Tathyana às 15:04
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 10 de Agosto de 2004

Lema da Revolução Francesa

LemaRevFranc.JPG
O ideal da Revolução Francesa era caracterizado pelo lema: Liberdade, Igualdade e Fraternidade.
publicado por Tathyana às 17:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 4 de Agosto de 2004

Inquisição

   
Tribunal da Igreja Católica instituído no século XIII
para perseguir, julgar e punir os acusados de heresia – doutrinas ou práticas
contrárias às definidas pela Igreja. A Santa Inquisição
é fundada pelo papa Gregório IX (1170?-1241) em sua bula (carta
pontifícia) Excommunicamus, publicada em 1231.

No século IV, quando o cristianismo se torna a religião oficial
do Império Romano, os heréticos passam a ser perseguidos como
inimigos do Estado. Na Europa, entre os séculos XI e XV, o desenvolvimento
cultural e as reflexões filosóficas e teológicas da época
produzem conhecimentos que contradizem a concepção de mundo
defendida até então pelo poder eclesiástico. Paralelamente
surgem movimentos cristãos, como os cátaros, em Albi, e os
valdenses, em Lyon, ambos na França, que pregam a volta do cristianismo
às origens, defendendo a necessidade de a Igreja abandonar suas riquezas.
Em resposta a essas heresias, milhares de albigenses são liquidados
entre 1208 e 1229. Dois anos depois é criada a Inquisição.

    A responsabilidade pelo cumprimento da doutrina religiosa
passa dos bispos aos inquisidores – em geral franciscanos e dominicanos –,
sob o controle do papa. As punições variam desde a obrigação
de fazer uma retratação pública ou uma peregrinação
a um santuário até o confisco de bens e a prisão em cadeia.
A pena mais severa é a prisão perpétua, convertida pelas
autoridades civis em execução na fogueira ou forca em praça
pública. Em geral, duas testemunhas constituem prova suficiente de
culpa. Em 1252, o papa Inocêncio IV aprova o uso da tortura como método
para obter confissão de suspeitos. A condenação para
os culpados é lida numa cerimônia pública no fim do processo,
no chamado auto-de-fé. O poder arbitrário da Inquisição
volta-se também contra suspeitos de bruxaria e todo e qualquer grupo
hostil aos interesses do papado.

    Nos séculos XIV e XV, os tribunais da Inquisição
diminuem suas atividades e são recriados sob forma de uma Congregação
da Inquisição, mais conhecida como Santo Ofício. Passam
a combater os movimentos da Reforma Protestante e as heresias filosóficas
e científicas saídas do Renascimento. Vítimas notórias
da Inquisição nesse período são a heroína
francesa Joana D'Arc (1412-1431), executada por se declarar mensageira de
Deus e usar roupas masculinas, e o italiano Giordano Bruno (1548-1600), considerado
pai da filosofia moderna, condenado por concepções intelectuais
contrárias às aceitas pela Igreja. Processado pela Inquisição,
o astrônomo italiano Galileu Galilei prefere negar publicamente a Teoria
Heliocêntrica desenvolvida por Nicolau Copérnico e trocar a pena
de morte pela de prisão perpétua. Após nova investigação
iniciada em 1979, o papa João Paulo II reconhece, em 1992, o erro da
Igreja no caso de Galileu.
publicado por Tathyana às 18:02
link do post | comentar | favorito

Uma introdução à Reforma Protestante

Durante a Idade Média, a Igreja Católica foi objeto de diversos movimentos que se propunham a reformar suas estruturas, corrigindo os abusos do clero e recuperando a pureza original do cristianismo. Entretanto, todos os autores dessas reformas – papas, bispos, fundadores de ordens religiosas – sempre foram pessoas pertencentes aos quadros da Igreja e por mais que dela discordassem, eram incapazes de desligar-se
dessa instituição. Queriam, enfim, arrumar a casa e não construir outra.
No final da Idade Média, entretanto, as insatisfações religiosas contra a Igreja acumularam-se de tal maneira que desembocaram num movimento de ruptura: a Reforma
do século XVI. As graves críticas apresentadas contra a Igreja já não permitiam apenas consertar internamente a casa. Os reformistas romperam com a Igreja Católica, provocando a quebra efetiva da unidade do pensamento ocidental cristão.
A Reforma representou um dos movimentos históricos fundamentais do início dos Tempos Modernos. Foi motivada por um complexo de causas que ultrapassam os
limites da mera constatação religiosa.
publicado por Tathyana às 17:43
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
Segunda-feira, 2 de Agosto de 2004

Marat

marat2.JPG
Jean-Paul Marat, nascido em Boudry em 1743 e morto em Paris em 1793. Líder revolucionário francês, médico formado em Londres. Em 1780, foi considerado subversivo depois de ter publicado o Plano de Legislação Criminal. Três anos depois, abandona a medicina, passando a dedicar-se às experiências com fogo, luz e eletricidade, mesmo tendo sido vetado na Academia Francesa de Ciências, por Lavoisier. Em 1789, edita o jornal radical L'Ami du Peuple (O Amigo do Povo) para defesa de causas populares. Tornou-se, então, líder dos jacobinos, partido mais radical da Revolução Francesa, mas seus ataques aos detentores do poder o levam ao exílio na Inglaterra, entre 1790 e 1791. No ano seguinte, a proclamação da república e a fundação da Comuna de Paris ascendem os jacobinos ao governo, permitindo que Marat seja eleito um dos dirigentes da Assembléia. No entanto, sua oposição sistemática ao partido girondino, embora tenha sido bem sucedida, uma vez que culminou na derrota deste em maio de 1793, provocou o ódio de Chalotte Corday, uma militante girondina, que o mata a punhaladas na banheira, enquanto se banhava, no dia 13 de julho de 1793, em sua própria casa.
publicado por Tathyana às 14:52
link do post | comentar | favorito

Significado da "tomada da Bastilha"

A Bastilha
era uma prisão onde o rei encarcerava seus inimigos políticos
e, portanto, era um símbolo do poder real. No dia 14 de julho de 1789
milhares de parisienses invadiram a prisão, desencadeando a Revolução.
A partir daí, a pressão popular intensificou-se, culminando
com a união dos representantes do terceiro estado na Assembléia
Nacional e com a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão,
um dos mais importantes marcos da história contemporânea mundial.


publicado por Tathyana às 14:37
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

27
28
29
30


.posts recentes

. Falta de notícias

. Falta de notícias

. Um doce Halloween para to...

. Nossa Senhora da Luz dos ...

. Grito do Ipiranga

. Hino da Independência

. Elisabeth, rainha da Ingl...

. Lema da Revolução Frances...

. Inquisição

. Uma introdução à Reforma ...

.arquivos

. Junho 2005

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds